domingo, 7 de julho de 2013

A derrota de Anderson Silva

O desrespeito não faz parte das artes marciais. Vence a luta quem vence a si mesmo

As artes marciais ensinam, em primeiro lugar, o respeito. O respeito por seu adversário, seu professor e seus alunos.
Com uma atitude de desrespeito, deixando de lado os princípios das artes marcias, Anderson Silva é derrotado por Chris Weidman perdendo o cinturão.
No feriado da independência americana, o lutador nascido na pequena cidade de Mineola, no estado de Nova York, deu um presente ao seu país ao ganhar o maior prêmio de sua carreira - o cinturão dos médios do UFC derrotando o maior lutador de MMA que já existiu. Com um nocaute devastador a 1m18s do segundo round diante de um adversário debochado e desrespeitoso ao extremo, Weidman teve o braço levantado, se manteve invicto com dez vitórias em dez lutas, chocou o mundo e acabou com um dos maiores reinados da história do MMA em todos os tempos. De quebra, impôs o primeiro nocaute da carreira do Spider, e a sua primeira derrota em mais de seis anos. Mas, acima de tudo, provou que a seriedade e o respeito ainda são o principal ensinamento da vida e das artes marciais, sejam elas mistas ou não.
Provocações:
Após baixar a guarda e pedir para Weidman golpeá-lo, Anderson Silva fingiu rir do adversário, colocou as mãos na cintura e chamou o americano para a luta, pedindo que ele o golpeasse. No fim do round, um beijo encerrou as ações.
No início do segundo round, Anderson chamou Weidman para a luta, pedindo que  o americano lutasse. Mas exagerou nas provocações, e perdeu o foco no combate. Dando o rosto para ser golpeado, o brasileiro fingiu tremer, dançou e riu, mas não contava com um um cruzado de esquerda seguido por uma sequência de socos que o derrubaram e forçaram o árbitro Herb Dean a encerrar o combate. Weidman cumpriu o que prometeu, conquistou o cinturão e festejou com a bandeira americana no centro do octógono, encerrando uma era e, talvez, iniciando uma nova.